Monthly Archives: Outubro 2011

Se tu nunca falhaste, nunca viveste

A vida é um risco. Mais do que perder dinheiro ou se magoar, o ser humano tem um medo gigantesco de ser rejeitado.

Por exemplo, as estatísticas mostram que as pessoas têm mais medo de falar em público (glossofobia) do que  medo da morte (necrofobia).

Medo da rejeição é o maior fator que impede as pessoas de fazerem coisas grandiosas.

Lembrem-se da celebre frase: 

“Não conheço pessoas que falharam. Só conheço pessoas que desistiram“ Henry Ford

Lembra-te sempre, eles também falharam e foram rejeitados, mas alcançaram o sucesso. Porque nunca desistiram!

Fonte: Inspirado em Napoleon Hill

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

Anúncios

O teu Potencial Infinito

Existe um potencial infinito dentro de ti.

Dentro de ti tens todas as ferramentas necessárias para alcançares os resultados que ambicionas e se por algum motivo te faltar alguma ferramenta, tu tens as capacidades necessárias para a criar.

Este potencial está quase sempre por descobrir ou explorar. Por vezes é descoberto durante a infância, outras vezes na fase adulta e outras vezes nunca é descoberto, mas na realidade ele está lá, apenas precisa de ser estimulado.

Vou-te mostrar um exemplo deste potencial num vídeo que me foi enviado recentemente:

É frequente que aqueles que te rodeiam veja em ti um potencial que tu próprio não acreditas ou ainda não descobriste e na maior parte das vezes eles têm razão.
Quantas tarefas fazes hoje que há alguns anos te pareciam impossíveis de realizar? Read the rest of this entry

O Lenhador e a Raposa

Todos os dias nos deparamos com a necessidade de tomar decisões rápidas,  muitas vezes sem estar na posse de todas as informações necessárias, que acaba por nos levar a tomar decisões precipitadas. Estas decisões  muitas vezes são apoiadas em opiniões de outros, ignorando nós os nossas verdadeiros valores e crenças. Estas decisões muitas vezes fazem-nos sentir arrependimento por não ter acreditado em nós mesmos.

Procura controlar os teus impulsos  assegurando serenidade e razão ás tuas decisões.

Acredita sempre em ti e naqueles em quem realmente confias.

Fonte: Recebido por email.

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

SUCESSO é Levantar-se uma vez mais, que as que for derrubado

A VIDA É  MUITO DURA, ISTO É UMA CERTEZA!

Quando te levantas,  és empurrado para baixo.Quando cais, és pisado……

MAS SEMPRE QUE ISTO ACONTECER, PÕE-TE DE PÉ.  Não importa quantas vezes vais fazer isso!

Lembra-te sempre disto: SUCESSO =  Levantar-se uma vez mais, que as que fores derrubado.

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

20 Dicas de Dalai Lama para uma vida mais feliz

1. Grandes amores e grandes conquistas têm grandes riscos;

2. Se por um acaso perderes, tira proveito do que aprendeste com a derrota;

3. Lembra-te dos três “R”:

  • Respeita-te a ti mesmo
  • Respeita os outros
  • Responsabiliza-te pelas tuas ações;

4. Lembra-te que às vezes, não conseguir o que queremos pode ser um maravilhoso golpe de sorte;

5. Aprende as regras e aprende a usá-las no momento certo;

6. Não deixe que uma pequena discussão afetar um grande relacionamento;

7. Quando descobrires que cometeste algum erro, tenta corrigi-lo o mais breve possível;

8. Fica algum tempo sozinho, sente-te bem com a tua companhia;

9. Aceita as mudanças mas nunca abandones os teus valores;

10. Lembra-te de que às vezes o silêncio é a melhor resposta;

11. Tenta viver com plenitude e muita honra;

12. Vive o presente intensamente pois quando ficares mais velho e te recordar do passado, poderás desfrutar as alegrias vividas novamente;

13. Vive num ambiente de amor  no teu lar. Isso é a base da vida;

14. Quando discutires com alguma pessoa querida, evita fazer referências de fatos do passado, preocupa-te com a questão atual;

15. Divide o teu conhecimento com os outros, é uma forma de garantires a tua imortalidade;

16. Preserva a O Meio Ambiente;

17. Pelo menos uma vez por ano, visita algum lugar que nunca tenhas ido antes;

18. Lembra-te que a melhor relação é aquela em que o amor mútuo é maior do que a necessidade mútua;

19. Julga o teu êxito por aquilo que tiveste de renunciar para conseguir atingi-lo;

20. Ama e trabalha com absoluto empenho.

Fonte: Dalai Lama

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

Estás abaixo ou acima da linha da vida?

Brad Sugars, para explicar o princípio da responsabilidade, costumava desenhar uma linha a que chamava a linha da vida, e desenvolvia que a maior parte das pessoas vivia as suas vidas abaixo desta linha.

De cada vez que encontramos uma desculpa para o que não está a correr como nós imaginávamos estamos a viver a vida abaixo da linha.

A mediocridade é cheia de razões!

Quando alguma coisa não nos corre bem, ou encontramos alguma dificuldade no caminho para os nossos objectivos, a nossa tendência é encontrar uma desculpa ou justificação. Quando encontramos uma justificação, tendemos aligar-nos a ela. À medida que a repetimos fertilizamo-la e fazemo-la crescer nonosso subconsciente. Enquanto ela cresce vai-se tornando verdadeira, pelo menos para nós, contagiando e toldando todas as nossas outras iniciativas e chegando a comprometer os nossos objectivos.

É o princípio do fracasso! Encontrámos um álibi!

Da mesma maneira estaremos a viver a vida abaixo da linha quando encontramos culpados. De cada vez que encontramos alguém ou algo a quematribuir as razões das nossas dificuldades estamos a boicotar as nossaspossibilidades de ser bem sucedidos.De cada vez que culpamos a sociedade, a família, a empresa onde trabalhamos, o governo, o mordomo, a sogra e o próprio mundo, que não nos trata de uma forma justa, estamos a viver a vida abaixo da linha.

Até que compreenderes que se continuares a culpar tudo à tua volta pelos teus lentos progressos, estamos a culpar tudo o que temos.

Se culparmos o sol, o vento, o solo, a chuva, as sementes e as estações do ano, então nada mais resta.

E viver abaixo da linha é também viver em negação. Mostramos alguma dificuldade em ver as coisas tal como elas são. Tendemos a ter uma visão enviesada sobre a realidade, quando esta  a nós diz respeito pessoalmente. O problema é que não dizer, ou ver, a verdade sobre a nossa vida rouba-nos o poder de agir. Esvazia-nos do poder de actuar e melhorar.

Até que nos coloquemos em cima da balança e pararmos de argumentar que temos os ossos pesados e assumirmos que estamos gordos, não vamos poder mudar a nossa alimentação e os nossos hábitos de actividade física.

Mas viver abaixo da linha não nasce connosco. É algo que aprendemos! E se aprendemos a viver abaixo da linha também podemos aprender aviver acima.

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

Queres ser um “Bola Murcha” ou Motivado

Com humor e sabedoria, Daniel Godri apresenta 2 tipos de pessoas neste vídeo.

Qual das duas tu és?

Este vídeo está muito focado no campo profissional, mas pode ser encarado em todas as áreas das nossas vidas.

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

Competência começa com te sentires competente

“Para a maioria das pessoas, o primeiro passo para melhorar o desempenho no trabalho não tem nada a ver com o trabalho em si, mas sim em como elas se sentem em relação a si mesmas. Na verdade, para oito entre dez pessoas, a auto-imagem conta mais para medir seu desempenho profissional do que o próprio desempenho profissional”. (GRIBBLE, 2000)

 Tu és bom naquilo que fazes? Submetes-te a testes periódicos ou a alguma outra forma de avaliação do teu desempenho?

Constatou-se que as pessoas que não se consideram boas no que fazem. Que não se acham capazes de ter sucesso ou de conquistar cargos de liderança – continuam com essa visão negativa mesmo que se tornem bem-sucedidas.

 A insegurança e suas próprias dúvidas fazem com que se sintam fracassadas.

Não esperes pela próxima avaliação para melhorar o julgamento sobre ti, porque sentimentos não se baseiam em fatos – e só as pessoas que se sentem competentes podem de fato ter o desempenho que as levará ao sucesso.

 “ Ross, um dançarino de Springfield, sempre sonhou em dançar na Broadway. O Seu caminho para o sucesso começou com produções amadoras, em que ele competia por uma vaga dançando na frente de todos os outros candidatos. De início, Ross sentiu-se

inibido: “Tive muito medo. Senti como se fosse uma criança sendo sabatinada na frente dos colegas.” Mas ele persistiu, algumas vezes com sucesso, outras, não. À medida que foi tentando diferentes papéis em várias produções, adquiriu muita experiência. “O fato de ter representado muitas vezes em frente de tantas pessoas foi aumentando a confiança na minha capacidade.” Ross se alegrava a cada conquista, por menor que fosse.Quando se candidatou pela primeira vez para um roteiro profissional, Ross sabia do que era capaz, e com isso conquistou  uma ponta num musical de sucesso. Dançou como se fosse o astro principal, dando tudo de si, e este foi o primeiro passo numa carreira bem-sucedida.

Ross tem uma explicação para o seu sucesso imediato, conseguindo o papel:“Eu sentia confiança, pois tinha me empenhado e sabia do que era capaz.

 Se quiseres alguma coisa, tu terás que realmente acreditar que podes conseguir. Tu tens de fazer acontecer. Não é de graça, é preciso esforço, persistência e autoconfiança.”

Fonte: Livro 100 segredos das pessoas de sucesso

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

Por que vivemos tão ansiosos ?

Como disse Dalai Lama:

“O que mais me surpreende é o homem, pois perde a saúde para juntar dinheiro, depois perde o dinheiro para recuperar a saúde. Vive pensando ansiosamente no futuro, de tal forma que acaba por não viver nem o presente, nem o futuro. Vive como se nunca fosse morrer e morre como se nunca tivesse vivido.”

Por que vivemos tão ansiosos?

 Em maior ou menor grau, todos sentimos o que chamamos de “ansiedade” a maior  parte do tempo. Os momentos verdadeiros de relaxamento e paz interior autênticos são raros. A dificuldade em viver no presente é um dos maiores contribuidores da ansiedade.

 Vamos entender  um pouco sobre essa dificuldade e como ela se apresenta.

 A pressa é uma das manifestações do não conseguir viver no presente. Desenvolvemos o hábito de viver apressados. E o que é a pressa? É a vontade de estar no momento seguinte enquanto tu ainda estás aqui e agora.

Tu acordas, mal te espreguiças e a cabeça já vai a mil por hora pensando que tens que ir escovar os dentes e tomar banho. Não dá nem para disfrutar da espreguiçada.

E as restantes atividades do dia são feitas da mesma forma… sem concentração nelas, a pensar na que terá a seguir. Por exemplo: o banho, que poderia ser uma atividade prazerosa, é realizado de forma rápida e mecânica; come sua primeira refeição pensando que logo tens que ir para o trabalho; no trânsito o  teu corpo está no carro, mas a mente já está lá adiante, a pensar nas tarefas por realizar em seu trabalho; mesmo no elevador, aperta o botão mais de uma vez para logo ir para cima; no computador, responde ao primeiro e-mail a pensar nos outros tantos por responder; mais tarde, queres que o dia acabe para voltar para casa; voltando para casa, é o trânsito que o inquieta novamente; em casa, onde poderias relaxar, preocupa-se com o jantar, com arrumar algumas coisas fora do lugar, em fazer algum trabalho pendente, em dar atenção à família… E, no dia seguinte, começa tudo outra vez!

Observa com atenção o mecanismo da mente de querer sempre estar no momento seguinte, gerando pressa, ansiedade, inquietação interior, aceleração do coração, causando um sofrimento. Todo esse stresse altera a fisiologia. O corpo produz essa aceleração e a química do cérebro e os hormônios são afetados.

Mas seria possível agir diferente tendo mil atividades pra fazer? Sim, claro. A mente está viciada em sair do presente momento e ir para o momento seguinte. Acontece de forma automática, inconsciente. A maioria é assim, é verdade. Mas existem pessoas mais presentes, mais calmas, mesmo diante de um volume grande de afazeres.

Tomar consciência deste mecanismo é o primeiro passo para começar a viver o agora, o que certamente irá diminuir a ansiedade.

Quando tudo isto parece normal e nem nos damos conta da loucura que é viver desta forma, estamos no piloto automático sem possibilidades de quebrar o padrão. Mas, agora que temos consciência, é possível fazer um exercício para nos voltarmos para o presente.

Todas as vezes que tua mente começar a viajar para próxima atividade e tu perceberes, volta sua atenção para a atividade atual. Toda vez que o teu corpo ficar tenso no trânsito com o engarrafamento, relaxa os músculos, respira, e volta sua atenção para o momento presente. Tu estás dentro do carro, naquele momento, e tu escolhes aceitar essa condição totalmente.

A mente fugirá mil vezes. Pacientemente, cada vez que percebermos, voltamos a atenção para o presente. Com o passar do tempo, a mente vai mudando o padrão. Ao invés de viver no futuro e prestar pouca atenção ao presente, ela começa a viver o presente e fazer visitas rápidas ao futuro. Assim a ansiedade diminui. As ações passam a ficar mais eficientes, pois estamos a executar cada tarefa com mais atenção.

Outra forma de sair do presente é quando começamos a pensar de forma preocupada em problemas que temos para resolver. É totalmente inútil, traz apenas sofrimento. O pior é quando acontece na hora de dormir, ou a meio da noite quando não deveríamos fazer nada além de descansar.

Remoer uma discussão também é mais outra forma de sair do presente. Dessa vez a mente vai para o passado e relembra o que houve. Começam a surgir pensamentos e comentários do quanto o outro foi injusto e que deveríamos ter dito isso e aquilo. Nem é preciso comentar o quanto é inútil é tudo isto. Mesmo sendo um padrão comum na maior parte das pessoas, devemos reconhecer este mecanismo como uma espécie de doença coletiva.  Uma doença que tem cura, felizmente.

Depende de nós e da forma como gerimos as nossas energias, assim concentremo-nos no agora, o que conta na nossa vida é o momento atual e vale a pena viver cada um deles.

Fonte: Inspirado no Livro o “Poder do Agora” de ECKHART TOLLE

Texto adaptado de: Liberdade Emocional.

+

Tem um dia magnífico. Diverte-te!

O problema dos outros também pode ser teu

Um rato, olhando pelo buraco da parede, vê o fazendeiro e a sua esposa abrir um pacote.

Pensou logo no tipo de comida que poderia haver ali.

Ao descobrir que era uma ratoeira, ficou aterrorizado.

Correu pela fazenda advertindo a todos:

-“ Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa!!! “

A galinha, disse:

“- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.”

 O rato foi até o porco e lhe disse:

“- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira!”

“- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranquilo que o senhor será lembrado nas minhas preces.”

O rato dirigiu-se então à vaca. Ela lhe disse:

“- O quê Sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não! “

Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro.

Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira a agarrar a sua
vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que tinha agarrado. Estava escuro, e ela não viu que a ratoeira tinha agarrado a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher.
O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre.
Todos sabemos sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha. O fazendeiro agarrou no seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.

 Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e morreu.

Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.

Da próxima vez que tu ouvires dizer que alguém está diante de um problema e acreditares que o problema não te diz respeito, lembra-te que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco. O problema de um é um problema de todos.”

O que acontece nas empresas, ou no mundo inteiro, diz respeito a cada um de nós porque nos afeta de alguma forma.

Metaforicamente, a Teoria do Caos diz que “uma borboleta batendo asas na Amazônia pode provocar um furacão no Texas”.

Isso pretende reforçar a ideia de que o mundo está conectado e todos seus habitantes interagem, independente das distâncias. Isto acontece nas empresas, todo o teu processo interfere no do teu colega do lado, do outro departamento, da outra filial, …,  e não penses em dizer : “eu não tenho nada com isso” ou “cada um que trate de si”. “Pois o problema de um é o problema de todos quando trabalhamos em equipa.”

A maioria dos profissionais, vive a maior parte da sua vida no local de trabalho, por vezes muito mais do que com sua própria família. Perante isto, o mínimo que cada um de nós pode fazer é contribuir para que o local de trabalho, sem prejuízo do profissionalismo, seja gratificante, agradável, harmonioso – e para isso é fundamental a relação pacífica e produtiva com todos os colegas e com as chefias.

Da próxima vez que te pedirem para ajudar, pensa nisto!

Fonte: Recebido por email

+

Tem um dia magnifico. Diverte-te!